Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Sad & Lonely

                                     

Solidão

 

Hoje estou muito triste e estou só.                                           

Só como sempre estive e estarei

A única companhia de sempre é a Solidão.

É o vazio que nos trucida,

é o saber que os teus amigos não sabem que tu existes

É gritar ao mundo ESTOU AQUI!... mas ninguém te ouve…

Tanta gente e ninguém.

Onde estão os que dizem que gostam de ti?

Onde estão os que dizem “estou aqui para te ajudar”?

Onde está a mão amiga que nos dá conforto?

Tanta gente e ninguém…

É chorar com toda a força do ser e ninguém perceber

É caminhares ignorada por todo o universo

É o egoísmo que impera disfarçado de sorriso

Tanta gente e ninguém…         

                                                                             

 

Estou apática e pensativa. Estive a reflectir sobre as pessoas que considero minhas amigas. Nas nossas “relações”. Parece-me que elas já se esqueceram de mim… Pelo menos eu sinto assim. Eu sou a mesma e estou aqui. No mesmo sítio. Há tempo para tudo e para todos menos para se lembrarem de mim. Todas temos vidas muito ocupadas e repletas de mil coisas para fazer. Mas também precisamos dos amigos e eles precisam de nós. Mas há amigos e amigos e eu talvez seja uma amiga que já não interessa, descartável mesmo. Porque será que ninguém se lembra de nos convidar (eu e o N.) para 1 café? Será porque não gostam de mim? Não gostam do N.? Ok, eu até posso aceitar isso mas gostava que mo dissessem. Lá porque o N. nunca quer ir a lado nenhum, não significa que não acedesse sair uma vez. Mas o N. nem sempre está cá. Alguém se lembrou de me perguntar “queres ir?”

O que magoa mesmo é saber que os amigos têm tempo para outros amigos e não para nós/eu. É pensarmos que eles nos tinham em determinada conta e afinal estamos em conta nenhuma.

Estou triste, cansada e velha. E a única pessoa com que posso contar é o N. É o meu amigo, o meu companheiro, o meu amante, o meu mundo. Só é pena não estar aqui.

É o existir não existindo.

Desculpem o desabafo mas é o que me vai no coração…